Bem vindo!

Piscina do condomínio. Dicas de uso e conservação.

Com a chegada do verão aumenta o uso das piscinas dos condomínios.  Para manter a vida em um condomínio  proveitosa e agradável, é preciso que os moradores façam a sua parte, cumprindo regras, respeitando o seu espaço e o do próximo e preservando as dependências que são de uso de todos.

Algumas regras e cuidados 

1) Crianças:

Nunca deixe crianças sozinhas na piscina. Em muitos condôminos a entrada é proibida sem acompanhamento de um adulto. Por mais que o filho saiba nadar, incidentes podem acontecer. “Para os que ainda não são nadadores, o ideal é o uso de boias. Evite os “macarrões”, porque podem escapar da mão ou do corpo da criança e se afogar. O melhor horário para frequentar a piscina é até às 11h e depois das 15h (no horário de verão). 

2) Brincadeiras

Dentro fora ou dentro da piscina, evite brincadeiras do tipo "empurra empurra" ou acrobacias nas borda, não corra na volta das piscinas de condomínio, não dê saltos que possam molhar as pessoas que estão em volta dela e muito menos faça brincadeiras violentas ou inseguras, num ato grave, pode deixar a pessoa paralítica. Para evitar acidentes, siga as recomendações das regras de uso estipuladas pelo condomínio. Lembrando que o síndico responde civil e criminalmente por tudo o que acontece no empreendimento. Portanto é fundamental que tenha total controle sobre a manutenção, limpeza e funcionamento da área da piscina.

3) Protetor Solar

O uso de protetor solar é importante para a saúde principalmente para crianças, porém,  lembre-se de tomar uma ducha para remover o excesso antes de entrar na piscina. Os protetores e bronzeadores deterioram a qualidade das águas, além disso os resíduos podem promover em certas pessoas reações alérgicas com algum componente da fórmula. Fundamentalmente, os bronzeadores dificultam o tratamento e aceleram o processo de deterioração dos equipamentos, através de corrosão e incrustações.

4) Bebidas

Não existe nenhuma proibição legal para o consumo de bebidas na área de piscinas. Isto esta condicionado ao regulamento interno de cada condomínio. Use copos e demais utensílios de plástico para evitar possíveis acidentes com vidro.

5) Aparelhos de Som

Lembre-se de que a área das piscinas de condomínio é de uso comum, isso é, ela pertence a todos e deve ser utilizada a fim de preservar a boa convivência, e sem gerar em prejuízo ou mal-estar para qualquer morador. Ninguém é obrigado a apreciar o seu gosto musical, portanto, não leve caixas de som para o local.

6) Animais

Você pode amar bichinhos, mas nem todos os seus vizinhos partilham desse sentimento. Levar pets para as piscinas de condomínio pode causar acidentes ou até mesmo a contaminação da água.

7) Urinar dentro da piscina

Urinar em piscinas de condomínio não apenas é uma questão de falta de higiene, como também pode representar um risco à saúde dos usuários. Isso se dá devido ao fato de que a ureia, sustância presente no xixi, quando combinada com o cloro utilizado para o tratamento das piscinas, produz componentes que causam diversas reações, que vão desde vermelhidão nos olhos até desconforto respiratório.

Cuidados com a manutenção

Manter uma piscina limpa, cristalina e, portanto, saudável, é importante em qualquer época do ano,  inclusive no inverno. Afinal de contas, água imprópria favorece a transmissão de doenças infecciosas aos banhistas, entre estas, hepatite, conjuntivite e otite, sem falar no aparecimento de larvas de insetos como o da dengue.

O cuidado permanente facilita e também barateia a manutenção e diminui o gasto excessivo com produtos químicos durante o verão. O tratamento deve levar em conta três fatores: 
• Remoção mecânica das sujeiras, 
• Bom funcionamento do filtro, e o 
• Uso adequado de produtos químicos. 

Nem toda limpeza mecânica é feito com máquina. Entre as atividades manuais temos a aspiração do fundo da piscina e a remoção de folhas e outros materiais em suspensão usando uma peneira. Já a filtração mecânica (feita com a bomba) é fundamental para garantir que os produtos químicos adicionados à água sejam bem misturados. 

O tratamento químico serve para manter a água saudável e cristalina. A cloração na medida certa assegura que a água esteja sanitizada enquanto os demais produtos -- algicidas e floculantes -- servem para eliminar algas que se aglutinam e depois são removidas fisicamente pela limpeza mecânica. 

Mais algumas dicas: 

Limpeza Física 

• Varrer ao redor da piscina 
• Usar peneira para retirar materiais em suspensão. 
• Limpar as bordas da piscina usando esponja e produto apropriado. 

Filtragem 
Filtrar a água da piscina por no mínimo 6 horas, diariamente ou de acordo com a recomendação do fabricante. 
• Tratamento Químico 
• Com medidores adequados, verificar os três parâmetros da água: alcalinidade, pH e cloro livre. 
• A alcalinidade desajustada dificulta o equilíbrio do pH, podendo provocar danos a equipamentos e deixa a água turva. A faixa ideal é de 80 a 120 ppm. 
• O pH desajustado pode causar irritação na pele e nos olhos, cabelos ressecados, corrosão de equipamentos e redução na eficácia do cloro. A faixa ideal é entre 7,0 e 7,4. 
• O cloro é o principal agente sanitizante e desinfetante da água (obrigado por Lei). O parâmetro ideal entre 1 a 3 ppm de Cl livre. 

Scroll to top