Open post

É Verão! Cuidados ao usar a piscina do condomínio

Piscina do condomínio. Dicas de uso e conservação.

Com a chegada do verão aumenta o uso das piscinas dos condomínios.  Para manter a vida em um condomínio  proveitosa e agradável, é preciso que os moradores façam a sua parte, cumprindo regras, respeitando o seu espaço e o do próximo e preservando as dependências que são de uso de todos.

Algumas regras e cuidados 

Fazer uma refeição leve e esperar cerca de 30 minutos

Tomar uma ducha antes de mergulhar é algo que traz benefícios para você e para o ambiente. No seu caso, essa preparação ajuda a evitar o choque térmico, equilibrando a sua temperatura corporal com a da água.

No caso da piscina, o banho de ducha é importante para eliminar cosméticos, suor e outros resíduos que possam estar depositados sobre a pele e os cabelos. Dessa forma, mantém-se o equilíbrio dos parâmetros da água e a qualidade.

Crianças:

Nunca deixe crianças sozinhas na piscina. Em muitos condôminos a entrada é proibida sem acompanhamento de um adulto. Por mais que o filho saiba nadar, incidentes podem acontecer. “Para os que ainda não são nadadores, o ideal é o uso de boias. Evite os “macarrões”, porque podem escapar da mão ou do corpo da criança e se afogar. O melhor horário para frequentar a piscina é até às 11h e depois das 15h (no horário de verão). 

Brincadeiras

Dentro fora ou dentro da piscina, evite brincadeiras do tipo "empurra empurra" ou acrobacias nas borda, não corra na volta das piscinas de condomínio, não dê saltos que possam molhar as pessoas que estão em volta dela e muito menos faça brincadeiras violentas ou inseguras, num ato grave, pode deixar a pessoa paralítica. Para evitar acidentes, siga as recomendações das regras de uso estipuladas pelo condomínio. Lembrando que o síndico responde civil e criminalmente por tudo o que acontece no empreendimento. Portanto é fundamental que tenha total controle sobre a manutenção, limpeza e funcionamento da área da piscina.

Protetor Solar

O uso de protetor solar é importante para a saúde principalmente para crianças, porém,  lembre-se de tomar uma ducha para remover o excesso antes de entrar na piscina. Os protetores e bronzeadores deterioram a qualidade das águas, além disso os resíduos podem promover em certas pessoas reações alérgicas com algum componente da fórmula. Fundamentalmente, os bronzeadores dificultam o tratamento e aceleram o processo de deterioração dos equipamentos, através de corrosão e incrustações.

Bebidas

Não existe nenhuma proibição legal para o consumo de bebidas na área de piscinas. Isto esta condicionado ao regulamento interno de cada condomínio. Use copos e demais utensílios de plástico para evitar possíveis acidentes com vidro.

Aparelhos de Som

Lembre-se de que a área das piscinas de condomínio é de uso comum, isso é, ela pertence a todos e deve ser utilizada a fim de preservar a boa convivência, e sem gerar em prejuízo ou mal-estar para qualquer morador. Ninguém é obrigado a apreciar o seu gosto musical, portanto, não leve caixas de som para o local.

Animais

Você pode amar bichinhos, mas nem todos os seus vizinhos partilham desse sentimento. Levar pets para as piscinas de condomínio pode causar acidentes ou até mesmo a contaminação da água.

Urinar dentro da piscina

Urinar em piscinas de condomínio não apenas é uma questão de falta de higiene, como também pode representar um risco à saúde dos usuários. Isso se dá devido ao fato de que a ureia, sustância presente no xixi, quando combinada com o cloro utilizado para o tratamento das piscinas, produz componentes que causam diversas reações, que vão desde vermelhidão nos olhos até desconforto respiratório.

Cuidados com a manutenção

Manter uma piscina limpa, cristalina e, portanto, saudável, é importante em qualquer época do ano,  inclusive no inverno. Afinal de contas, água imprópria favorece a transmissão de doenças infecciosas aos banhistas, entre estas, hepatite, conjuntivite e otite, sem falar no aparecimento de larvas de insetos como o da dengue.

O cuidado permanente facilita e também barateia a manutenção e diminui o gasto excessivo com produtos químicos durante o verão. O tratamento deve levar em conta três fatores:
• Remoção mecânica das sujeiras;
• Bom funcionamento do filtro, bombas e demais equipamentos;
• Uso adequado de produtos químicos.

Nem toda limpeza mecânica é feito com máquina. Entre as atividades manuais temos a aspiração do fundo da piscina e a remoção de folhas e outros materiais em suspensão usando uma peneira. Já a filtração mecânica (feita com a bomba) é fundamental para garantir que os produtos químicos adicionados à água sejam bem misturados.

O tratamento químico serve para manter a água saudável e cristalina. A cloração na medida certa assegura que a água esteja sanitizada enquanto os demais produtos -- algicidas e floculantes -- servem para eliminar algas que se aglutinam e depois são removidas fisicamente pela limpeza mecânica.

Mais algumas dicas:

Limpeza Física

• Varrer ao redor da piscina
• Usar peneira para retirar materiais em suspensão.
• Limpar as bordas da piscina usando esponja e produto apropriado.

Filtragem
• Filtrar a água da piscina por no mínimo 6 horas, diariamente ou de acordo com a recomendação do fabricante.
• Tratamento Químico
• Com medidores adequados, verificar os três parâmetros da água: alcalinidade, pH e cloro livre.
• A alcalinidade desajustada dificulta o equilíbrio do pH, podendo provocar danos a equipamentos e deixa a água turva. A faixa ideal é de 80 a 120 ppm.
• O pH desajustado pode causar irritação na pele e nos olhos, cabelos ressecados, corrosão de equipamentos e redução na eficácia do cloro. A faixa ideal é entre 7,0 e 7,4.
• O cloro é o principal agente sanitizante e desinfetante da água (obrigado por Lei). O parâmetro ideal entre 1 a 3 ppm de Cl livre.

Open post

Assembleias de Condomínio

Assembleia de condomínio,  porque participar?

Por se tratar de uma "comunidade" todas as decisões que impactam na vida dos condôminos devem ser aprovadas pela maioria, para isto ser possível é necessário reuni-los em uma assembleia, onde os assuntos trazidos são votados e a decisão da maioria é acatada, passando a valer para todos. Daí vem à importância de participar ou fazer-se representar em todas as assembleias.

Dependendo da finalidade existe um tipo específico de assembleia, das quais podemos citar as principais:

AGI -  Assembleia Geral de Instalação

Ocorre uma única vez, quando a construtora entrega a obra, e este passa a ser um condomínio.

AGO - Assembleia Geral Ordinária

É realizada obrigatoriamente (01) uma vez por ano e tem sua pauta definida em:  Aprovar contas passadas, previsão orçamentária e eleição de síndico e corpo diretivo.

AGE - Assembleia Geral Extraordinária

Este tipo de assembleia ocorre em diversas ocasiões e por motivos diversos, ao contrário da AGO não possui pauta preestabelecida. São nas AGEs que ocorrem as votações de temas como:  Regras para uso de áreas comuns, aprovação de despesas extras, alteração da finalidade de uso de determinada área comum, aprovação de regimento interno, alteração da convenção,  execução de inadimplentes, e etc.

 A maior parte dos moradores prefere não participar das assembleias, porém, esquecem que, dependendo do que for votado e aprovado, o resultado pode impactar diretamente em sua vida. Um bom exemplo é a aprovação de rateio extra para reforma e pintura de áreas comuns, seguramente irá gerar despesas não previstas em seu orçamento doméstico. Mesmo a despesa sendo necessária, talvez se você estivesse presente poderia opinar sobre um parcelamento maior ou então um desconto para pagamento a vista, e etc.

 Morar em condomínio é acima de tudo um exercício de cidadania, a participação e o pleno entendimento de como se processa a administração, como estão sendo cuidadas as contas e o controle das despesas,  nada mais é que cuidar do seu próprio interesse e de seu patrimônio. 

Caso não possa participar é possível nomear um representante via procuração:

O Código Civil, atual lei dos condomínios, legitima o uso de procurações em assembleias, seja qual for o seu propósito: eleições, aprovação de contas, aumento da taxa condominial, etc. Além disso, qualquer pessoa capaz pode receber procuração, sem limitação de quantidade.

Algumas convenções têm um item que restringe a quantidade de procurações a serem apresentadas por um único condômino em assembleia, ou proíbem o síndico de portar procurações de outros condôminos. Convém verificar a convenção do seu condomínio.

 Participe das assembleias de seu condomínio. Lá são tratados assuntos de suma importância para o planejamento das despesas e vivência da coletividade e, conseqüentemente as suas despesas e tranquilidade.

Tabela com quórum e votações mínimas necessárias para aprovações no condomínio

Motivo Observação Votação mínima
Aprovação de contas,
aumento de taxa
condominial e
eleição de síndico
Em 1ª convocação, é preciso quórum de metade do todo.
em 2ª convocação, quórum livre.
Maioria dos presentes
Obras necessárias As que conservam a coisa ou impedem sua deterioração*
Ex.:

Pintura ou limpeza da fachada (mantendo-se a mesma cor e padrão) e obras urgentes, como impermeabilização de um local com vazamento.

Maioria dos presentes
Obras úteis As que aumentam ou facilitam o uso da coisa*.

Ex.:
Reforma da guarita e Individualização dos hidrômetros.

Maioria do todo
Obras voluptuárias As que não aumentam o uso habitual da coisa,constituindo simples deleite ou recreio*.

Ex.: piscina.

2/3 do todo
Alterações na Convenção
e no Regulamento
Interno
Quando é necessário adequação nestes itens. 2/3 do todo**
Destituição do síndico Assembleia especialmente convocada por ¼ dos condôminos. Maioria do todo
Outros motivos Desde que não exigido quórum especial pela Lei ou pela convenção, em 1ª convocação, é preciso a presença de metade do todo; em 2ª, quórum livre Maioria dos presentes

nia dui.

Open post

Atribuições de um síndico

Quis as obrigações de um síndico?

Síndico

Responsabilidade

O síndico é o representante legal do condomínio e responsável por sua gestão. Caso o síndico não cumpra com suas obrigações, poderá sofrer processos judiciais, perder o mandato, além de trazer sérios prejuízos para todos os condôminos.

Quem optar em assumir este cargo deve estar ciente do compromisso e da responsabilidade frente à comunidade que irá representar. Da mesma forma quem o eleger deve ter consciência da importância e dos poderes que está delegando a esta pessoa.

Escolha do Síndico

A escolha do síndico apenas para preencher a vaga não é a melhor alternativa. Hoje existem profissionais no mercado que podem desempenhar excelente trabalho para o seu condomínio, profissionalizando a gestão, minimizando riscos e garantir a valorização do investimento realizado quando da aquisição do seu imóvel, são os síndicos profissionais.

o que diz a Lei?

Código civil Art. 1.348. Compete ao síndico:

I - convocar a assembleia dos condôminos;

II - representar, ativa e passivamente, o condomínio, praticando, em juízo ou fora dele, os atos necessários à defesa dos interesses comuns;

III - dar imediato conhecimento à assembleia da existência de procedimento judicial ou administrativo, de interesse do condomínio;

IV - cumprir e fazer cumprir a convenção, o regimento interno e as determinações da assembleia;

V - diligenciar a conservação e a guarda das partes comuns e zelar pela prestação dos serviços que interessem aos possuidores;

VI - elaborar o orçamento da receita e da despesa relativa a cada ano;

VII - cobrar dos condôminos as suas contribuições, bem como impor e cobrar as multas devidas;

VIII - prestar contas à assembleia, anualmente e quando exigidas;

IX - realizar o seguro da edificação.

§ 1o Poderá a assembleia investir outra pessoa, em lugar do síndico, em poderes de representação.

§ 2o O síndico pode transferir a outrem, total ou parcialmente, os poderes de representação ou as funções administrativas, mediante aprovação da assembleia, salvo disposição em contrário da convenção.

Open post

Animais em condomínios são permitidos?

Animais em condomínios, são permitidos?

A resposta é: Sim! mas...

Viver em condomínio é um "exercício de cidadania" e como em qualquer sociedade se existem direitos em contra partida existem os deveres, por isso o ideal é que o condomínio tenha em sua convenção ou regimento interno as regras bem elaboradas, também o bom senso de todos e cuidados básicos por parte dos proprietários de animais contribuem  para um convívio harmonioso. O que não é possível é proibir,  mesmo que esteja na convenção ou regimento.

Cuidados básicos com a higiene

  • Sempre limpar os dejetos do animal nas áreas comuns do condomínio.
  • Urina deixa odores desagradáveis e fezes parecem ter ímã para sapatos.
  • Nada de chamar um funcionário do condomínio para limpar os dejetos do seu cachorro, é dever do tutor deixar o local limpo, como encontrou.

Vacinação em dia!

A vacinação é, possivelmente, uma das principais responsabilidades que um dono adquire quando adota ou compra um animal. No entanto, em algumas ocasiões, surgem algumas dificuldades por não se ter muita clareza sobre a tabela ou o calendário de vacinação para cães.

Usar guia

Não esqueça de por seu cão na guia ao sair de sua unidade e transitar dentro do condomínio, algumas pessoas tem medo de cães. Além de contribuir para prevenir qualquer incidente, também irá mostrar seu respeito às normas e aos demais moradores.

 

"É importante lembrar que o animal hoje faz parte de muitas famílias, e é um grande amigo e companhia para nós, humanos."

Obrigar um dono a se desfazer do seu animal significa obrigá-lo a doar ou “jogar fora” um amigo, um ente familiar, um ser vivo pelo qual se nutre amor, e isso atenta contra a dignidade da pessoa humana.

Scroll to top